Ghost Recon: Future Soldier ganha um espetacular vídeo

Image representing Xbox as depicted in CrunchBase

Image via CrunchBase

 

Ghost Recon: Future Soldier  ganhou um espetacular vídeo. O vídeo mostra o jogador Peter que admite aos seus amigos que está completamente viciado em “GUNSMITH”, a incrível ferramenta de personalização de armas disponível no game. Com a ferramenta, o jogador poderá pegar qualquer arma e trocar todas as partes dela, fazendo a arma perfeita para qualquer cenário possível. Usando o Kinect para Xbox 360, você pode fazer tudo isso através de sua voz e de seus movimentos. Você pode também ter acesso as armas em qualquer lugar através de aplicativos móveis. Assista abaixo:

 

 

shooter terá um modo especial de suporte ao Kinect da Microsoft  e quatro classes de personagens: Soldado de Reconhecimento, Comando, Sniper e Engenheiro. O título terá campanha individual e módulo multiplayer, além da alta tecnologia de armamentos e acessórios que caracteriza a franquia.

 

O lançamento acontece em 22 de maio para consoles. A versão para PCs chega depois, no dia 12 de junho.

 

GALERIA DE IMAGENS

 

 

 

Crysis 3 tem novo trailer divulgado

Crysis 3 teve um novo trailer liberado pela Crytek. A prévia mostra cenas de jogabilidademisturadas a comentários da mídia especializada sobre o game. Assista abaixo:

No game, os jogadores controlarão Prophet, que retorna a Nova York e descobre que a corruptaCell Corporation  liberou uma ameaça na cidade . O game se passará em 2047, e terá por objetivo descobrir as verdadeiras razões por trás da Cell e dos Nanodomes. O protagonista, contudo, terá outro motivo: a vingança, que transforma todos em potenciais alvos.

Crysis 3  será lançado em fevereiro de 2013 para Xbox 360, PCs e PlayStation 3.

Computadores já saem de fabrica com vírus

Em meio a uma investigação sobre pirataria, a Microsoft descobriu algo preocupante: computadores não só saem de fábrica com cópias falsificadas do Windows como, também, com vírus. Pesquisadores da companhia encontraram o problema na China ao comprarem 20 máquinas novas em varejistas diferentes. Todas elas tinham versões piratas do sistema operacional e quatro delas vieram com vírus. 

Um desses vírus, chamado Nitol, já foi visto também nos Estados Unidos, Rússia, Austrália e Alemanha, segundo o The Guardian. Todos esses computadores se tornam parte de uma botnet.

O caso foi revelado pela Microsoft na última quinta-feira, 13/09/2012, em uma corte federal em Virgínia, onde a companhia encabeça uma batalha contra o empresário chinês Peng Yong, dono de um domínio considerado como responsável pela maior central de atividades ilegais na internet, o 3322.org. Há mais de 500 tipos de malwares por lá.

A empresa foi à Justiça explicar a ligação entre Yong e o vírus, descoberta em uma investigação sobre pirataria iniciada em agosto de 2011 – foi quando as 20 máquinas foram compradas. Dentre todos os problemas, o que mais chamou a atenção dos pesquisadores foi a atividade do Nitol, que já veio ativo em um dos PCs.

Assim que ligamos este computador, por sua conta própria e sem qualquer intervenção nossa, ele começou a pesquisar na internet, tentando se conectar com um computador desconhecido“, contou em um documento Patrick Stratton, um gerente sênior da Microsoft para crimes digitais.

Ele e um colega perceberam que o Nitol é altamente contagioso: ao conectar um pendrive à máquina infectada, ele automaticamente foi contaminado e, quando ligado a outro PC, ele passou o vírus adiante.

Milhares de exemplos do vírus foram examinados, com diversas variáveis, e em todos os casos havia ligação com servidores associados ao 3322.org. Em 2008, a Kaspersky afirmou que 40% de todos os malwers do mundo tinham alguma relação com o domínio; no ano seguinte, a Zscaler reportou que a taxa era de 17%.

Fonte: Olhar Digital

Ação do Facebook cai mais de 10% e tem negociação interrompida

Segundo agências, investidores não confiam que anúncios gerem lucro.
Papeis fecharam a US$ 20,79; revista aposta que chegarão a US$ 15

As ações do Facebook caíram mais de 10% durante as negociações desta segunda-feira (24) e acionaram o “circuit breaker“, a interrupção das negociações dos papéis da empresa para evitar movimentos especulativos. A desvalorização das ações da empresa de Mark Zuckeberg foi puxada por preocupações dos investidores com a possibilidade de a empresa não conseguir fazer a venda de anúncios gerar lucro.

As preocupações foram reforçadas, segundo jornais e agências, por um artigo da revista Barron’s que põe em dúvida a capacidade da empresa de gerar receita via publicidade. O texto diz que os papeis devem cair abaixo de US$ 15.

As ações da empresa fecharam em queda de 9,1% nesta segunda, a US$ 20,79. Segundo a Bloomberg, é a maior queda desde 27 de julho.

Na mínima do dia, as ações caíram mais de 10%, e acionaram um pequeno “circuit breaker”. Às 12:37, segundo o “Wall Street Journal“, a Nasdaq, que negocia as ações da empresa, alertou os investidores que as ações teriam as vendas restritas. Pelas regras da Securities and Exchange Commission (SEC), o xerife do mercado dos EUA, o mecanismo é ativado quando papeis caem mais de 10% em relação ao fechamento do dia anterior.

Revista
O artigo da Barron’s trata da queda de 40% das ações da empresa desde o lançamento e questiona se é interessante comprar os papeis, já que estão em queda. “A resposta curta é: ‘Não.'”, diz a revista.

Segundo o texto, as preocupações com a renda da empresa via anúncios, continuam e estão crescendo. Um dos problemas levantados é a rápida mudança na base de usuários do Facebook para plataformas móveis. De acordo com o artigo, mais da metade dos usuários hoje acessam o site via smartphones e tablets, “o que parece ter pego a empresa de surpresa”. “O fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg deve encontrar uma forma de rentabilizar o seu tráfego móvel porque o uso em PCs tradicionais, onde a empresa faz praticamente todo o seu dinheiro, está em declínio em seus mercados grandes e estabelecidas. Essa tendência não é susceptível a mudar.”